SOBRE

A CHAMA é a mostra artística da Escola de Artes Visuais do Cefart caracterizada por incluir em sua programação atividades como: exposições, rodas de conversa, oficinas, ações de mediação cultural, propostas artísticas diversas como apresentações, saraus, performances e feiras de arte.

O evento ocorre ao final de cada semestre, seguindo o calendário da Escola de Artes Visuais, integrando a programação de mostras artísticas do Cefart.

O principal objetivo da CHAMA é possibilitar a aplicação prática por alunes dos conteúdos estudados em sala de aula, durante os cursos: Formação Inicial Continuada em Assistente de Produção Cultural, Curso Básico de Arte Educação, Curso Básico de Curadoria e Curso Básico de Expografia.

A primeira mostra da Escola de Artes Visuais, Sarau das Incertezas, aconteceu em 19 de dezembro de 2017, na sala Juvenal Dias do Palácio das Artes. O nome CHAMA só passou a ser utilizado a partir da terceira versão do evento. Em 2021, a mostra completa a sua sexta edição, comemorando os cinco anos da Escola de Artes Visuais e os 50 anos do Centro de Formação Artística e Tecnológica da Fundação Clóvis Salgado.

CHAMA: Corpos Arvoredos Plurais – 6ª Mostra da Escola de Artes Visuais – Cefart/FCS

A sexta edição da mostra da Escola de Artes Visuais é composta por uma exposição virtual, um vídeo para ser projetado, um catálogo eletrônico e uma cartilha digital. Durante o período expositivo serão apresentadas obras do acervo da Fundação Clóvis Salgado e obras produzidas por professores e alunes. O catálogo e a cartilha educativa serão lançados em formato PDF, disponibilizados para o público e distribuídos por e-mail para as escolas.

A proposta curatorial elaborada pela curadora convidada, Celina Lage, aborda o meio ambiente a partir do conceito “as árvores e os arvoredos” e propõe reflexões acerca de como os corpos das pessoas se relacionam com eles. Além de estabelecer um diálogo com o Parque Municipal, vizinho ao Cefart e ao Palácio das Artes, para promover a percepção da natureza e o bem estar do público.

O contexto gerado pela pandemia da COVID-19 influenciou tanto a definição do formato virtual da mostra, como a escolha em abordar a crise do clima mundial e a promoção da agenda de preservação ambiental. Primeiro, a qualidade do ar melhorou com o lockdown, uma medida de contenção do contágio do vírus, e ficou evidente que a poluição nos centros urbanos reduziu, após a diminuição da circulação de pessoas. Segundo, a origem da doença, de acordo com pesquisas científicas em andamento, pode ser uma zoonose transmitida por morcegos selvagens, cuja presença em centros urbanos foi provocada pelo desmatamento.

“A exposição aborda temas contemporâneos que emergiram em caráter de urgência durante a pandemia da COVID-19, como a crise do clima mundial e a necessidade de promover a agenda da preservação ambiental. Muito se falou sobre a melhoria da qualidade do ar, da diminuição da poluição nas cidades durante o tempo do lockdown e dos perigos que o desmatamento traz para o equilíbrio do meio-ambiente, como o que pode ter provocado a contaminação de humanos em cidades por um vírus supostamente advindo de morcegos selvagens. Ao mesmo tempo, pretende-se estabelecer um diálogo com o Parque Municipal, vizinho ao Palácio das Artes, promovendo o contato e a percepção da natureza como uma estratégia de biohacking para melhoria da saúde e qualidade de vida, de modo que, ainda que as pessoas estejam isoladas em suas moradias, possam obter benefícios através de ações muito simples que promovam o bem estar.” (Celina F. Lage, curadora convidada)

CHAMA: Corpos Arvoredos Plurais | 6ª Mostra da Escola de Artes Visuais | CEFART

Período do projeto: 1º a 30 de Junho de 2021

Locais:
Site da FCS (www.fcs.mg.gov.br)
Youtube da FCS (www.youtube.com/palaciodasartesmg)

Classificação: Livre
Ativdidades Gratuitas

Informação para o público: (31) 3236-7400